Português

Translated by Translator Brigades – translatorbrigades@gmail.com

DIREITOS HUMANOS NÃO SÃO OPCIONAIS!

Chamada para um dia de ação alternativa no dia Mundial dos Direitos Humanos, Sábado, 10 de dezembro de 2011

O sucesso de 15 de Outubro impulsionou uma ação global sem precedentes. As pessoas se uniram, ultrapassando fronteiras, em uma luta pela verdadeira democracia e pelos direitos individuais. O essencial para esta luta tem sido o respeito pelo ser humano e suas condições de vida, incluindo o ambiente em que vive.

A sociedade civil mundial tem sido ameaçada por um sistema baseado em poder e não em valores humanos. Dia após dia, liberdades básicas são reprimidas em prol da ganância de poucos, sobrepondo-se às necessidades de muitos. Este poder financia guerras, monopólios na indústria farmacêutica e alimentícia, regimes ditatoriais em todo o mundo, destrói o meio ambiente, manipula e censura o fluxo de informação e sua transparência.

Independentemente dos nossos diferentes contextos culturais e sociais, todos sofremos as mesmas ameaças. Nossa liberdade e dignidade estão sofrendo por conta da dinâmica dos mercados e da corrupção nos governos, os quais estão transformando as sociedades em lugares injustos para se viver. Os governos deste planeta devem trabalhar para as pessoas – não contra elas.

Chegou a hora de levantar a cabeça e juntos lutar pelos nossos direitos, exigir que os direitos prometidos na Declaração Universal dos Direitos Humanos assinada em 1948 e aprovada pela maioria dos governos em todo o mundo – a mesma que serviu de base para diversas constituições – sejam respeitados.

A luta pelos nossos direitos como seres humanos é a base de tudo que exigimos em todas as praças e em todas as manifestações neste ano histórico para uma mudança global. Não existe melhor culminação para os protestos deste ano do que uma ação global para defender nosso direito inalienável, exigindo igualdade daqueles que estão tentando tirá-la de nós.De leste a oeste, norte a sul: no dia 10 de dezembro vamos ocupar as ruas juntos para exigir o cumprimento dos direitos fundamentais que nos foram prometidos e que são inerentes a qualquer ser-humano.

Queremos propor a semana de 10 de dezembro (de 10/12 a 17/12) como um momento para formas alternativas de protesto que serão criadas após um debate entre todos nós. A ideia é participar e propor novas maneiras de ação com espírito criativo: podemos organizar fóruns públicos, workshops, flash-mobs, podemos promover o movimento em escolas locais e na vizinhança, ou entrar em contato com organizações humanitárias que trabalham com os mesmos objectivos.

Esta é uma chamada para qualquer pessoa, grupo ou organização humanitária independente para participar deste processo criativo: diga-nos o que está a organizar para o #December10, envie suas propostas e vote naquelas que achar boas.. Nós publicaremos as propostas no site e as divulgaremos pela Internet, para que outros possam adotá-las ou debatê-las. Uma discussão mais geral está acontecendo aqui: titanpad.com/humanrights Entre e participe!
2 total comments on this postSubmit yours
  1. A Acampada Coimbra decidiu aderir à convocatória para um Dia de Acção Alternativa no Dia Mundial dos Direitos Humanos, 10 de Dezembro de 2011 (Sábado). Mais de 50 cidades, espalhadas por mais de 20 países nos vários continentes, juntaram-se a esta iniciativa.
    (A convocatória pode ser lida em 30 línguas em http://dec10.takethesquare.net)

    A Acampada Coimbra, neste dia, organizará duas actividades:

    DEBATE: Um Olhar Crítico Sobre os Direitos Humanos
    Teatro da Cerca de São Bernardo (junto ao pátio da inquisição) – 15h00 > 18h00
    Projecção de documentário, seguido de debate com:
    Bruno Kalon Gonçalves (mediador para as comunidades ciganas)
    José Manuel Pureza (professor ces/feuc)
    Raúl Llasag (doutorando ces/feuc)
    Jonas Van Vossole (doutorando ces/feuc)
    https://www.facebook.com/events/257185087673393/

    FESTA
    cafetaria do museu de ciência (bar do chimico) – 23h > 2h00
    animação com DJ SelektaD (Reggae, hip-hop, samba)
    ENTRADA LIVRE; SEM CONSUMO OBRIGATÓRIO
    https://www.facebook.com/events/149119711859526/

    Texto para estas acções, aprovado por consenso na Assembleia Popular de 4 de Dezembro

    Um olhar crítico sobre os Direitos Humanos
    No dia 10 de Dezembro, celebra-se o Dia Internacional dos Direitos Humanos. Se estas comemorações já pareciam destoar da realidade vivida por uma grande parte de Humanidade em anos anteriores, agora, imerso que está o Mundo numa profunda crise, que reitera a miséria de milhões e simultaneamente arrasta muitas outras pessoas para o desemprego, a fome e a precariedade, há ainda maior necessidade de olhar para os Direitos Humanos consagrados de uma perspectiva crítica.
    O capitalismo, como sistema de organização económica, assenta na exploração do trabalho de muitos, para que uma ínfima minoria enriqueça. Mesmo nos estados onde há décadas imperam regimes ditos democráticos, muitos dos direitos consagrados na Declaração Universal, e também nas suas Constituições, não passam de letra morta, ou de algo que fica bem lembrar em dias de festa, ou de campanha eleitoral.
    Nunca o direito ao trabalho foi atingido por toda a população activa de um estado capitalista, quanto mais o direito ao trabalho digno e com direitos. Nunca o direito à habitação foi garantido: a bolha de especulação em torno do imobiliário levou a construções em escala faraónica; a sua implosão deixou milhões de casas vazias, enquanto são expulsas famílias que não conseguem pagar as suas hipotecas aos bancos.
    Os direitos humanos deveriam garantir o respeito à pessoa, independentemente do seu género, nacionalidade, cor de pele, orientação sexual ou idade. No entanto, mesmo nos países ditos desenvolvidos, as opressões são aprofundadas, em grande medida para dividir todos aqueles que poderiam, caso estivessem unidos, afrontar este sistema e derrotá-lo, construindo em alternativa uma outra sociedade, essa sim, verdadeiramente justa e democrática.

    Para além das actividades organizadas pela Acampada Coimbra, outros grupos estão a organizar iniciativas neste dia:

    Os Direitos Humanos não são um Jogo – Domino de arte Participativa
    às 15h na Praça da República
    Organização: Hemisférios Solidários
    https://www.facebook.com/hemisferios.solidarios

    Debate: Violência contra as mulheres e direitos humanos das mulheres
    também no Teatro da Cerca São Bernardo, às 18h
    Organização: Núcleo de Coimbra da UMAR e República das Marias do Loureiro
    https://www.facebook.com/events/306591392694852/

    5 Curtas + Tertúlia + Dinâmica teatral (17h00)
    Festa Fora do Armário (a partir das 23h30)
    no Pop Fresh
    Organização: PATH (Plataforma Anti Homofobia e Transfobia) e Secção de Defesa dos Direitos Humanos / AAC
    https://www.facebook.com/events/280955445276736/

Submit your comment

Please enter your name

Your name is required

Please enter a valid email address

An email address is required

Please enter your message

Designed by WPSHOWER

Powered by WordPress